Testes rápidos oferecidos nas Unidades Básicas de Saúde ajudam a identificar novos casos de HIV
54 novos casos só este ano

Nos últimos anos, o índice de pessoas com HIV teve um aumento considerável no Brasil. Esse salto nos números é resultado da notificação dos casos de HIV positivos, determinada em 2014 pelo Ministério da Saúde. Em 2015 foram registrados 225 novos casos de HIV em Boa Vista.

A identificação positiva do HIV, bem como doenças sexualmente transmissíveis – DSTs, é feita por meio do teste rápido disponível nas Unidades Básicas de Saúde. De acordo com a Coordenação Municipal DST/AIDS, nos últimos seis meses deste ano já foram notificados 54 novos casos.

“Quando começamos a realizar o teste rápido na rede municipal, a população começou a procurar e os casos passaram a ser identificados. Com a determinação do Ministério para que notificássemos, foi possível observar o aumento”, explicou o coordenador Sebastião Diniz.
A Secretaria Municipal de Saúde tem investido na prevenção da população por meio das campanhas de conscientização na comunidade. Toda semana os postos de saúde realizam palestras e orientam os pacientes quanto à importância do uso da camisinha, da realização do teste rápido para doenças sexualmente transmissíveis e HIV, além do acompanhamento médico regular.

A AIDS é uma infecção causada pelo HIV, vírus que ataca as células do sistema imunológico, destruindo os glóbulos brancos. A falta dessa proteção diminui a capacidade do organismo de se defender de doenças como, uma simples gripe. Descobrir a doença precocemente pode dar ao paciente a oportunidade de iniciar o tratamento e levar uma vida tranquila seguindo as recomendações médicas.


De acordo com o Sistema de Informações de Agravos de Notificação (SINAN-Net), em 2015 foram registrados 280 casos de AIDS em Boa Vista. Desses, 106 casos notificados envolvem jovens com idades de 20 a 29 anos.


“Nosso trabalho nas unidades é reforçar e promover a prevenção das pessoas. É por meio dela que conseguimos evitar doenças e garantir uma vida saudável. Não é só o teste de HIV que está disponível nas unidades, a rede municipal disponibiliza também os testes de hepatite e sífilis. Acredito que com a educação nas unidades conseguiremos diminuir aos poucos esses índices”, destacou o secretário municipal de Saúde, Kleber Pinheiro.
Com informações da Secretaria Municipal de Saúde