Deputados Estaduais criticam reforma administrativa anunciada pelo governo de Roraima
Para parlamentares a economia anunciada é pequena diante da situação financeira do estado

A governadora Suely Campos anunciou na semana passada uma reforma administrativa, que prevê a economia de 17 milhões de reais em um ano com a diminuição de custos e a extinção e fusão de secretarias. O projeto ainda nem chegou na Assembleia Legislativa e já despertou debates entre os deputados estaduais.

Para o líder do G13, deputado George Melo (PSDC), a economia anunciada é pequena diante da situação financeira pela qual passa o estado, é como se economizasse pouco mais de R$ 1 milhão reais por mês. O parlamentar conta que esperava uma redução maior.

Outro ponto da reforma administrativa prevê um corte no salário dos membros do primeiro escalão do governo de 30%. Para George Melo, na prática, a medida não tem efeito. Uma solução mais enérgica para economizar os recursos públicos estaria em uma gestão mais eficiente.

Conforme informações divulgadas para a imprensa pela assessoria de comunicação da Assembleia Legislativa de Roraima, a reforma administrativa não agradou nem mesmo ao deputado autor da proposta, Messias de Jesus (PRB). Ele também considera baixa a expectativa de economia de R$ 17 milhões ao ano. O parlamentar disse que dá para fazer muito mais, e garantiu que a assembleia vai se aprofundar e analisar o que de fato está sendo proposto pelo governo.

A nossa equipe de reportagem tentou contato com o assessor do deputado Messias de Jesus, mas as ligações e mensagens não foram atendidas ou respondidas.